Notícias

Traduções na área médica e biológica

A tradução de artigos científicos de medicina, uma área sempre em evolução e que incorpora constantemente novos termos ao vocabulário, apresenta características específicas.

O profissional da área médica precisa especializar-se sempre, e por isso tende a assimilar os novos termos e variações linguísticas diretamente da língua estrangeira, propagando seu uso em congressos e artigos escritos em português. Portanto, às vezes, traduzir certos termos pode causar estranhamento e falta de compreensão por parte de alguns leitores.

Um mesmo termo pode ser traduzido de modos diferentes dependendo do tema ou público-alvo. Uma tradução eficaz na área médica e farmacêutica é fundamental para garantir uma boa comunicação entre empresas farmacêuticas, médicos, enfermeiros, pacientes e familiares.

Além disso, traduzir com eficiência revistas especializadas, bulas, trabalhos científicos, ensaios clínicos e artigos com especialidades médicas possibilita o avanço de pesquisas e o desenvolvimento de novas técnicas.
Para traduzir textos de saúde, o fato de ser médico ou acadêmico de medicina dá uma enorme vantagem sobre os profissionais que nunca tiveram contato com a área. Assim, há necessidade de o tradutor ser especializado nesta área específica, como alguns o são na área jurídica, e outros, na técnica.

As características essenciais para o tradutor no campo da medicina valem para qualquer área da tradução, e hoje em dia é muito mais fácil trabalhar com esse tipo de material devido ao acesso a todo tipo informação na internet, dicionários bilíngues, glossários específicos da área e revistas especializadas. Entretanto, muitas vezes o trabalho do tradutor requer o uso de um dicionário monolingue para, somente depois, efetuar a tradução.
Sobretudo, é preciso entender o contexto do documento, familiarizar-se com a terminologia, as expressões recorrentes e convenções, não só da área, mas também da subespecialidade.

Apesar de existirem várias maneiras de se dizer a mesma coisa na área médica, há, por área de especialidade, preferência por certas palavras e expressões em relação a outras, chamadas Convenções da Especialidade.
Identificar essas preferências pode ser um trabalho árduo para o tradutor. Todavia, uma consulta prévia pode facilitar o reconhecimento dessas preferências.

Dentro de um tema tão amplo como a medicina, pode haver diversas variações. Outra particularidade da área é decidir o que traduzir ou não para o português, pois o uso de termos em línguas estrangeiras, particularmente a inglesa, é tão corriqueiro que algumas substituições podem forçar o médico-leitor a “destraduzir” boa parte do texto para conseguir compreendê-lo.

Por outro lado, a manutenção desses termos no original pode tomar o conteúdo ininteligível para leigos, estudantes no inicio do curso ou qualquer pessoa com pouco domínio da língua estrangeira em questão. Em alguns casos, manter o termo original entre parênteses para auxiliar na compreensão do leitor.

A linguagem utilizada em artigos científicos publicados em jornais destinados a profissionais da área médica normalmente é diferente, por exemplo, dos artigos destinados à população em geral, como artigos institucionais, artigos em revistas, alertas, instruções, etc. Nestes tipos, a linguagem utilizada é mais coloquial do que a linguagem científica, para que a informação possa ser assimilada.

No aprimoramento na área médica é fundamental que os novos tradutores busquem assessoria de profissionais mais experientes para evitar armadilhas clássicas, e sempre submeter o texto a uma boa revisão.

Já os profissionais experientes em tradução, mas sem formação médica, devem manter uma ampla rede de contatos profissionais da saúde para solucionar dúvidas e debater significados.

Este conselho também se aplica aos tradutores com formação médica, pois é importante trocar ideias com colegas de especialidades diferentes. O campo de conhecimentos na área médica é tão vasto que é impossível um único profissional estar familiarizado com todo o léxico.

Ver todas as notícias